Guaribas (24 a 26 de novembro)

Novembro 26, 2008

Após 12 horas de ônibus de Salvador à Barreiras, saimos a procura de locadoras de veiculos na cidade. Por um instante quase que nossos planos vão por água abaixo, pois era domingo e todas as locadoras estavam fechadas. Após varias tentativas, e analisarmos todas as possibilidades, decidimos alugar o único carro que havia a disposição, um Uno que a primeira vista parecia um mero pangaré. Seguimos pala estrada rumo ao Piauí. No caminho muita chuva e ao anoitecer chegamos em Gilbués depois de 350 km percorridos e  onde pensavamos estar proximo do nosso destino final. Mas nossa alegria não durou muito tempo. Ao conversar com a população local, DESCOBRIMOS que Guaribas ficava muito distante de lá, e ainda teriamos que enfrentar 165 km até Bom Jesus, para então encontrarmos a estrada carroçal de 90 km. Novamente o GoogleMaps nos deixou na mão… Dormimos em Bom Jesus pois já era tarde e porque sentimos que uma longa jornada nos esperava. Estava claro que a população de Bom Jesus nunca havia pisado em Guaribas, já que nos informaram caminhos que variavam de 90 à 300 km de lama.
Cedo partimos  em direção a Guaribas. O ultimo trecho asfaltado ia até a cidade de Santa Luz, onde compramos os últimos 4 litros de água mineral da cidade e alguns miojos para garantir a emergência. Ali todos nos alertaram sobre o perigo da estrada, e seguimos em frente. Após 30 km de estrada de terra, atolamos pela primeira vez. Parecia que tudo estava perdido, não havia população local, apenas estrada de terra, muita lama, a mata e alguns carcarás a nos vigiar. Diferentes possibilidades de caminho nos deixavam em dúvida se estavamos realmente indo em direção a Guaribas. Após 70 km de piscinas de lama, muita pedra, e algum problema na parte de baixo do carro causando um barulho de algo solto, nos fazia pensar o que fariamos ali se não conseguissemos seguir em frente. Mas nosso Uno Pangaré se mostrou um puro sangue, passando por todas as adversidades do caminho. Foi quase um sonho quando avistamos Guaribas.

A caminho de Guaribas.

A caminho de Guaribas.

A caminho de Guaribas

A caminho de Guaribas

Nada de comemorações e descanso, com a F100 da prefeitura toda acabada (parabrisa tincado, porta que não fechava, e toda enferrujada) partimos para Barreiro, povoado visitado pela equipe da revista Rolling Stones. Depois de 2 horas chegamos e começamos nossas entrevistas. Conversamos com Maria Fernandes Lacerda Pereira, que nos mostrou seu roçado no quintal da casa com orgulho e seu desejo de ver água saindo do solo da própria comunidade. Dona Maria nos contou que o marido morreu doente,  deixando-a responsável pelos filhos e a roça. Atualmente ela usa a água da cisterna, no entando seu maior sonho é ter água para irrigar seu plantio.

Dona Maria, moradora do povoado Barreiro, Guaribas, Piaui.

Dona Maria, moradora do povoado Barreiro, Guaribas, Piauí.

Quando caminhávamos para o povoado de Capim percebemos que dona Maria era a personagem principal da matéria da Rolling Stone. Na foto publicada na revista dona Maria estava acocorada a beira de um riacho. Refletimos que há pelo menos duas maneiras de apresentar os fatos e as pessoas. Para nós dona Maria, apesar de sua condição de vida, sorriu e contou sua história. Na revista…

Link para matéria: http://www.rollingstone.com.br/edicoes/14/textos/1201/

Atividade de grupo no povoado de Barreiro, Guaribas, Piaui.

Atividade de grupo no povoado de Barreiro, Guaribas, Piauí.

O segundo povoado visitado foi Capim. Ali tivemos uma ótima atividade de grupo iluminada pelo candeeiro. Os participantes identificaram uma maior necessidade de reuniões para discutir propostas, e até marcaram uma data para o primeiro encontro da comunidade. Foi um dia bastante dificil para nós, pelos desafios do caminho e de mobilização das pessoas do local, mas que terminou de uma forma surpreendente.

Atividade de grupo em Capim, Guaribas, Piaui.

Atividade de grupo em Capim, Guaribas, Piauí.

Atividade em Capim, Guaribas, Piaui.

Atividade em Capim, Guaribas, Piauí.

Atividade de grupo no povoado Capim.

Atividade de grupo no povoado Capim.

No dia seguinte, encontramos com Dazio, morador do Brejão e indignado com o coronelismo local. Segundo ele um voto para prefeito esta entre 1000 e 1500 reais, para vereador entre 200 e 300 reais. Além dos temas já mencionados nos outros dois municípios (água e energia), escutamos com frequência a questão da segurança: uma senhora nos contou que teve seu filho assassinado pelo próprio pai e outros compartilharam seu medo em certas regiões do municipio por haver pessoas armadas e grande consumo de bebidas alcólicas.

Derval Ribeiro da Trindade, morador do povoado de Capim, Guaribas, Piaui.

Derval Ribeiro da Trindade, morador do povoado de Capim, Guaribas, Piauí.

José Pereira Rocha, morador do povoado de Capim, Guaribas, Piaui.

José Pereira Rocha, morador do povoado de Capim, Guaribas, Piauí.

O retorno não ficou devendo emoção em relação a nossa ida. Agora a caminho de Caraúbas, serão 28 horas de onibus de Barreiras para Parnaíba!

Anúncios

Uma resposta to “Guaribas (24 a 26 de novembro)”


  1. Sim, dize-me, a foto do carro atolado é na estrada entre Bom Jesus e Guaribas? Se o for, estavas na BR-235. Isso mesmo, numa BR; e a dita foto me interessa. Os motivos? Absoluta falta de tempo e uma história pra contar que tem a sobredita BR como sub-tema. Sequência do que podes ver em http://www.youtube.com/user/josedealmeidabispo
    E, parabéns pelo trabalho de vocês, né?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: